RADIAÇÃO SOLAR EM PELOTAS, RS ​​ – ANÁLISE ESTATÍSTICA

João Baptista da Silva, Marta Pereira Llopart, Nathalie Boiaski

RESUMO

O conhecimento da radiação solar e suas interações com outras variáveis meteorológicas ajudam no planejamento das mais diversas atividades. Esta variável é muito importante em estudos de zoneamento agroclimáticos, épocas de semeadura, produtividade potencial, necessidade de irrigação e no desenvolvimento e uso de modelos de crescimento e de rendimento de culturas. É também fonte de alternativa de energia no momento em que se faz sentir ​​ a escassez das fontes de energia tradicionais. No presente trabalho estudou-se o comportamento da radiação solar média mensal em Pelotas, RS, a partir dos dados registrados na Estação Agroclimatológica de Pelotas, no período de 1961/2003 (exceto o ano de 1989). As médias mensais da radiação solar seguem aproximadamente a distribuição normal, em todos os meses do ano, o que nos permite fazer valiosas inferências. A análise estatística dos dados permitiu concluir que a radiação solar decresce de janeiro até junho onde apresenta o seu mínimo e cresce até dezembro onde atinge o máximo. Exatamente o inverso do que ocorre com a umidade relativa. Na modelagem dos dados ao longo do tempo, pela análise harmônica, destacou-se a onda anual com 99% de representatividade.

Palavras-chave: estatística descritiva, climatologia, regressão periódica.

ARTIGO